Elena Ferrante e a Tetralogia Napolitana

Porque é um dos meus livros favoritos…

Um copo e uma página

tetralogia-elena-ferrante

Minha mãe nasceu em 1946, na periferia do Rio de Janeiro. Lenu nasceu em 1944, na periferia de Nápoles. Quando comecei a ler a tetralogia de Elena Ferrante (Série Napolitana)tracei esse paralelo, por uma semelhança muito clara de datas e (por que não?) de ambiente. A associação imediata e automática permaneceu à espreita, não exatamente porque a biografia da personagem narradora dos livros da italiana tivesse semelhanças com a história da minha progenitora, mas porque a despeito de serem biografias diferentes, desenrolam-se em tempos e paisagens de força e significado correspondentes.

A vida das mulheres em uma sociedade machista é sempre uma vida de periferia, em Gênova, no Rio, em Tóquio. E acho que aí reside uma boa parte da força dessa história: as mulheres da geração da minha mãe conseguem se enxergar muito claramente, mesmo as que não tiveram que escapar de subúrbios pobres e famílias tacanhas…

Ver o post original 1.595 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s